quarta-feira, 22 de junho de 2011

LOVE IS A DOG FROM HELL

Um livro gostoso de ser lido e muito, mas muito mesmo,tapa na cara!

É tudo e mais ainda, do que se poderia esperar um ser da geração “beat”.

LOVE IS A DOG FROM HELL é

um ótimo livro escrito por Charles Bukowski entre os anos 1974 e 1977, uma coletânea de poemas maravilhosa que mostra o amor nu das pessoas comuns que amam. E como amam!

Um livro apaixonante.

Bukowski teve infância difícil, não se dava bem com o pai, morreu de leucemia. Mas viveu a vida até o último gole.

Nascido na Alemanha mas tendo vivido nos EUA, Bukowski foi um ícone, assim como Jack Kerouac, da geração beat.

Tinha sérios problemas com o alcoolismo, e isso fez com que se internasse com problemas no estômago várias vezes. No fim da vida, já não bebia "tanto", mesmo assim, uma imagem que define bem seu estilo é ele com um copo de bebida na mão dizendo que o médico falara que se bebesse mais um gole de álcool ele morreria. "Pois é, os médicos mentem".

Em LOVE IS A DOG FROM HELL (O Amor é um Cão dos Diabos) nada de ultra romantismo, nada de caixas de bombom, nada de “não lhe dou uma rosa porque tem espinho”, ele é simples e complexo, paradoxal, fuleiro, machista que ama mulheres, humano, vulnerável. Faz-nos lembrar nossa própria essência, nosso desejo puramente sexual pelo outro e depois disso mais nada.

Bukowski, guardem esse nome.

Vai aparecer mais vezes.

Com toda a certeza.

Agora um poema para vocês terem um gostinho do livro:

Como ser um grande escritor

você tem que trepar com um grande número de mulheres
belas mulheres
e escrever uns poucos e decentes poemas de amor.

e não se preocupe com a idade
e/ou com os talentos frescos e recém-chegados.

apenas beba mais cerveja
mais e mais cerveja

e vá às corridas pelo menos uma vez por
semana

e vença
se possível.

aprender a vencer é difícil -
qualquer frouxo pode ser um bom perdedor.

e não se esqueça do Brahms
e do Bach e também da sua
cerveja.

não exagere no exercício.

durma até o meio-dia.

evite cartões de crédito
ou pagar qualquer conta
no prazo.

lembre-se que nenhum rabo no mundo
vale mais do que 50 pratas.
(em 1977).

e se você tem a capacidade de amar
ame primeiro a si mesmo
mas esteja sempre alerta para a possibilidade de uma
derrota total
mesmo que a razão para essa derrota
pareça certa ou errada -

um gosto precoce de morte não é necessariamente
uma coisa má.

fique longe de igrejas e bares e museus,
e como a aranha seja
paciente -
o tempo é a cruz de todos,
mais o
exílio
a derrota
a traição

todo este esgoto.

fique com a cerveja.

a cerveja é o sangue contínuo.

uma amante contínua.

arranje uma grande máquina de escrever
e assim como os passos que sobem e descem
do lado de fora de sua janela
bata na máquina
bata forte

faça disso um combate de pesos pesados

faça como o touro no momento do primeiro ataque

e lembre dos velhos cães
que brigavam tão bem:
Hemingway, Céline, Dostoiévski, Hamsun.

se você pensa que eles ficaram loucos
em quartos apertados
assim como este em que agora você está

sem mulheres
sem comida
sem esperança

então você não está pronto.

beba mais cerveja.
há tempo.
e se não há
está tudo certo
também
.

Um comentário:

  1. O livro e o autor são muito bons mesmo. Espero ver mais dele por aqui!

    ResponderExcluir